Operação e Manutenção de Lodos Ativados

Operação e Manutenção de Lodos Ativados

MO12 - Operação e Manutenção de Lodos Ativados

Quero me Inscrever

A ECOLOGIC traz com exclusividade o melhor e mais completo programa de capacitação e desenvolvimento humano em tratamento de águas e efluentes.

Voltado para profissionais e estudantes que atuam direto ou indiretamente com projetos, obras e operação de sistemas de tratamento de águas e efluentes.

OBJETIVO DO CURSO

Oferecer ao participante informações que permita compreender e operar com qualidade e competência uma planta de tratamento de esgoto do tipo Lodo Ativado, por meio da apresentação da teoria que dá suporte à tecnologia, bem como as rotinas operacionais que tal processo demanda.

MATERIAL OFERECIDO

Material em Pdf

Certificação de Frequência

30 Dias de acesso às Aulas Gravadas para serem Reassistidas

Fórum para Dúvidas

INSTRUTOR

Helvécio Carvalho de Sena

Possui doutorado em Hidráulica - Saneamento Básico pela Universidade de São Paulo (2011). Tem experiência na gestão de processos de tratamento por lodos ativados, digestão anaeróbia e lagoas de tratamento anaeróbias e facultativas, e também na melhoria de processo aplicando a tecnologia MBBR. Possui desenvoltura em simulação numérica de processo de tratamento visando melhorias e utilizando a capacidade plena da unidade, simulação de compostos orgânicos e inorgânicos tóxicos que são enviados ao tratamento, além de experiência nos modelos matemáticos GPS-X e Toxchem+. Realiza avaliação do sistema de tratamento através de análises microbiológicas. Tem larga experiência na avaliação de efluentes industriais visando a tratabilidade do mesmo em lodos ativados. Fez implantações do Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001, coordenando equipes de trabalho operacionais e áreas de apoio. Desenvolveu projeto de implantação desse sistema em sete unidades, das quais três foram certificadas. Possui experiência na implantação do Sistema de Gestão de Qualidade em Laboratórios - ISO 17025, coordenando equipes de trabalho em cinco unidades. Realizou controle de odores em sistemas de tratamento de esgotos, incluindo o sistema de coleta. Também já realizou implantação de sistema de reúso não potável. Possui expertise em pesquisas orientadas ao tratamento de esgotos, aplicando técnicas inovadoras como respirometria, cromatografia gasosa e análises de carbono orgânico.

Fábio Campos

Biólogo com Mestrado em Engenharia Sanitária pela Escola Politécnica da USP; Doutorado em Ciências pela da Faculdade de Saúde Pública da USP e Pós-Doutorado pela Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP. Especialista com mais de 30 anos de experiência em tratamento de água e esgoto com foco em pesquisas de novas tecnologias para recuperação de nutrientes e em processos ligados ao ecossaneamento.

  1. Estudo do processo de Lodos Ativados e suas variantes (alta taxa, convencional e aeração prolongada);
  2. Serão apresentados seu fluxograma e o papel de cada unidade no contexto da tecnologia. Abordando as condições operacionais, tais como: pH, temperatura, OD, e a importância de sua avaliação diária;
  3. Será detalhado a questão do Floco Biológico, dos principais grupos de microrganismos atuantes e os possíveis problemas que podem ocorrer, tais como o intumescimento do lodo (bulking) ou o floco disperso (pint-point);
  4. Será abordada a presença de diferentes ambientes, como o aeróbio, anaeróbio e anóxico e a função de cada um;
  5. Reciclo de lodo e do descarte do lodo de excesso;
  6. Parâmetros: IVL, idade do lodo e relação A/M;
  7. Monitoramento da planta: Necessidade de coletas de amostras em pontos específicos, e posterior análise laboratorial de parâmetros analíticos que permitam avaliar a eficiência da estação;
  8. Monitoramento da planta: Como os parâmetros operacionais, sobretudo, idade do lodo e relação A/M, podem ser manipulados para atingir determinados objetivos;
  9. Quanto a estrutura da planta, será abordado a presença de tanque de equalização, bombas de alimentação/reciclo, sistema de aeração, bem como a possibilidade de automação.
  10. Por fim, será discutido a necessidade de desinfecção do efluente, seja como medida de enquadramento para lançamento, como para fins de reúso, serão abordados assuntos como: uso do cloro, dosagem, controle analítico, bomba dosadora.
Operação e Manutenção de Lodos Ativados

FECHADO

Entre em contato